sexta-feira, julho 27, 2007

compulsivo desejo

As palavras que li essa semana que fizeram mais sentido:

"Masculino e feminino, tão diferentes, somaram-se, não se descaracterizando. Surgiu uma espécie de entidade livre do complusivo desejo de posse que caracteriza relacionamentos massacrantes. Não me ame tanto, parece dizer, sem palavras, quem é cercado e cercado por esse tipo de obcecado amor.
"Amar é deixá-lo livre", ecreveram-me num bilhete. Deve ser o mais difiícil e obscuro dos segredos de conviver bem." (Lya Luft - O Rio do Meio pg. 75)

Um comentário:

[ Jarbas ] disse...

"Amar é deixá-lo livre" ~ concordo em genero, numero e grau.