quinta-feira, setembro 13, 2007

O dedo na porta.

A saudade é a pior dor que existe.

A saudade é aquela dor de quando se prende o dedo na porta. Surge de repente, de surpresa. Você grita, chora, implora pra que passe logo. Os minutos não passam, se arrastam enquanto você segura uma mão com a outra na intenção de aliviar a dor. Mas agora, na esperança de ancorar um bálsamo na crença de que aquela dor seja só um deslize emocional, o dedo fica permanentemente roxo, um roxo tão imutável, um roxo que vai trazer à memória a aflição das lembranças emergentes, o susto e o barulho do dedo na porta. A dor que era arrematadora, cimenta no coração com uma comodidade como se fizesse realmente parte do seu corpo, como um órgão moribundo sem moradia.

O que é pior? A porta sempre vai estar lá.

Só muito gelo para curar a dor da saudade.

5 comentários:

tulio disse...

logo vamos nos ver, calma!
:)

hélio disse...

Droga. Tulio roubou minha piada.

Mas falando serio, um dia sem essa menina ja dá uma saudade doída, entao so posso tentar imaginar o que é essa porta no dedo...

Texto lindo. Curto, direto e bem expressivo. Só uma das (muitas) coisas que me deixa mais apaixonado por voce.

Bjos, Blade!

tulio disse...

eu sou foda!!

Graziele disse...

Nem adianta fazer a mesma piada e dizer que vc pode me encontrar no final de semana né? rs
Mas tenho saudades de vc monga...

Ana Claudia Guimarães disse...

Quanto a saudade...

Uma vez conversando com a minha mãe, disse a ela sobre a saudade que eu sentia só de morar em uma casa e ela em outra. Na mesma cidade, no mesmo país... E ela me disse que o que mais doia nela era sentir saudade da mãe, e ter a certeza de que nunca mais poderia abraça-la...
Hoje sinto o mesmo, e acho que muito mais que o dedo na porta, a dor que eu sinto não tem descrição.

Mas é isso, você conseguiu ser curta e objetiva.
Adorei o post.