segunda-feira, maio 07, 2007

Meu carma




Hoje é o Dia Nacional de Prevenção das doenças respiratórias. Deveria ser um dos dias mais importantes do meu ano.

Eu sou, intrinsicamente, pertencente do grupo de 25% dos brasileiros que possuem doenças respiratória.

Meu dilema diário: enfrentar uma rinite alérgica tipo 3 que pertuba minha paz durante 70% dos dias do ano, numa estimativa empírica.

É assim (e quem tem pode comprovar): acorda com o nariz escorrendo e minutos depois vem a crise do espirro que se cessa lá pras 10 da manhã. Tem dias que não cessa, e eu fico respirando pela boca o tempo todo. Quando é pra comer é um problema: ocupar a boca com comida, uma vez que ela é sua única fonte de captação de ar. Conclusão, tenho que mastigar rápido para não morrer sufocada. Nesses dias sentir o gosto da comida é um privilegio inenarrável. Pois bem, na hora de dormir na maior parte das vezes é a pior parte. Nariz entupido se une com o cansaço e a falta de paciência. Noites de inalação fazem parte da rotina noturna. Quando a situação é amena dá pra ferver a água com Vick, colocar numa xícara e correr pra cama, se enfiar no edredon e ficar lá cheirando o ar que arde os olhos. Nos dias em que a parada tá feia, meia hora com a cara na água feverndo no pé do fogão pode ser pouco.

Isso em dias em que a a rinite se manifesta somente no nariz. As vezes "ela" acha que isso só não basta e resolve atacar os olhos que ficam inchados ou a cabeça, que dá vontade de arrancar os cabelos.

Cortina, mofo, poeira, tapete, fumaça de cigarro, urso de pelúcia, perfume, edredons e lençois sujos ou qualquer tipo de cobertor, almofadas e colchão velhos e por aí vai.... são meus piores inimigos. Pegar no meu nariz, nem pensar!

Quantas vezes já vi minha mãe chorando de me ver sofrer....

Mas enfim, no sábado passado foi o "fim da picada" desse ano e chorar parecia a única solução. Até que domingo comecei a tomar novamente a pílula mágica Clarintim D. O ar entra nos pulmões ardendo. Tadinho, nem ta acostumado. Vai ficar tolerável nos próximos dois meses. Depois volta tudo de novo.

E assim eu vivo com minha rinite alérgica. E minha carne esponjosa no nariz.

4 comentários:

Hélio disse...

"Conclusão, tenho que mastigar rápido para não morrer sufocada."

Eu só não rio dessa frase aí de cima, pq sei como vc sofre... Ô dó de minha nega no sabado. De partir o coração. Um dia a gente ainda se livre dessa esponjinha do nariz. Nem que seja a base de mordida.

Bjos,

Jô Beckman disse...

Mi do Carmo e seu Carma! hehe
vc lembrou a cantora Pitty nessa foto.
beijos

Shirley de Queiroz disse...

O pior é não tolerar cobertas na noite conquistense. Tadinha, Mi...

hélio disse...

O fã clube reclama: cade posts novos?!