terça-feira, novembro 18, 2008

Uma sociedade em alerta

Já aconteceu de num filme você já ter visto, logo no início, os rostos do mocinho e do ladrão e ainda nas primeiras sequências não reconhecer fisicamente quem é quem? Se você respondeu que “sim, sim”, ou os arquiinimigos protagonistas eram gêmeos ou era um filme oriental. Segunda opção para moi aqui.

Sem rotular: como é difícil reconhecê-los quando estão todos juntos. Seria mais uma limitação de nós ocidentais ou eles realmente são uns as caras dos outros?

No entanto, o filme chinês Breaking News (2004), com o subtítulo em português “Uma cidade em alerta”, do diretor Johnnie To Kei-fung, tem muito mais coisas interessantes a serem citadas neste blog do que somente a semelhança entre os atores a ponto de me confundir ou a distinta sensação de ouvir durante uma hora e meia uma língua estranha aos meus ouvidos, o cantonês.

Pela frase na capa do DVD já dá para se familiarizar com o tema de Breaking News: “uma rede de TV transmite ao Vivo uma perseguição que deixa toda uma cidade em alerta”.

É mais ou menos assim: uma gangue de ladrões está abalando a tranqüilidade das ruas de Hong Kong. Numa destas ações, a polícia resolve agir, mas a performance dos policias é vergonhosa e eles são humilhados pelos bandidos que demonstram muito mais preparo para a situação. Tudo isso, num tiroteio intenso no meio da rua, com centenas de fotógrafos e cobertura ao vivo dos canais de televisão. Orgulho ferido, a polícia resolve se vingar. É, se vingar. O que era uma caçada contra a criminalidade vira a caçada para resgatar a moral da polícia e reafirmar quem manda no pedaço.

O esconderijo dos bandidos em um prédio é descoberto e a jovem inspectora Rebecca lidera a grandiosa operação com milhares de policias, cada um com uma mini câmera à bordo, e com a convocação de toda mídia ao local. O show estava montado e toda tecnologia estava a favor da transmissão do espetáculo: câmeras fotografias, de vídeo, celulares, walkie talkies, computadores com web cans da casa de reféns...

O filme deixa bem explicita a normalidade em que a manipulação vai sendo construída, tudo para trazer de volta a confiança das pessoas e reverter a tão aclamada opinião pública. Entrevistas com as vítimas do conflito anterior, com parentes destas vítimas, imagens dramáticas em câmera lenta, música de fundo, todos os detalhes eram pensados pela equipe de Rebecca. A segurança de ninguém estava em jogo, é claro que nenhum refém poderia sair ferido, pois comprovaria mais uma vez a incompetência da polícia, mas em nenhum momento pareceu prioridade para inspetora dar um basta na situação o mais rápido possível, sem antes fazer daquilo um grande show.

Lá dentro do prédio, os bandidos também fazem seu show midiático e a trama se desenrola no jogo entre polícia, imprensa e ladrões, a disputa de quem dá mais audiência.

Breaking News traz o tema à tona com muita naturalidade, o que já vejo ai uma crítica à aceitação por parte de todos nós em situações semelhantes na “vida real”. Até zomba um pouco da maneira ridícula como estas coisas acontecem sem ninguém fazer nada.

Breaking News não perde tempo com efeitos mirabolantes, embora seja um filme de ação, e nem com diálogos com frases de efeito moral, embora deixe um espaço para reflexão sobre o assunto. Não sei, nem ao menos, se ele foi feito para refletir ou para esfregar na cara de todo mundo a verdadeira preocupação da polícia, a duvidosa ética da imprensa e o abestalhamento crescente dos telespectadores. Quanto aos bandidos, estes estão cada vez mais entendidos sobre o funcionamento das coisas e exploram isto ao máximo.

Há uma inversão, ou um tumulto evidente, nos valores da sociedade contemporânea, de Hong Kong ou de qualquer parte do mundo. Um mundo onde quem é pra defender, ataca, quem é para esclarecer, esconde, quem é para educar, manipula e quem é para viver, morre.

2 comentários:

Ana Gabi disse...

Acontece comigo também, eu vi aquele filme Memórias de uma Gueixa e tive que prestar mais atenção...
Acho que se fosse dublado era mais fácil, mas eu mas odeio ver filme dublado, hehe!

Tina disse...

Nossa, tem policial brasileiro assistindo muito filme!

Já ta na lista nos filmes que tenho que ver, certeza!

bjs