segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Oscar - Melhores (ou não) de 2008

Como estou viajando, vou fazer alguns comentários resumidos sobre a 81º cerimônia do Oscar que aconteceu ontem.

A grande festa do cinema mundial que prometia inovações inesperadas foi mesmo cheia de novidades, mas novidades em sua maioria que não conseguiram ultrapassar o sem graça.

O teatro Kodak estava diferente mas não melhor e a apresentação de Hugh Jackman apática mesmo o galã se esforçando para ser simpático e engraçado.

A homenagem feita aos posteriores ganahores da estatueta de melhor atriz e ator e coadjuvantes, na qual cinco desses entravam "rasgando seda" dos candidatos foi estranha. Cada um fazendo elogios mil aos indicados que ouviam emocionados enquando esperam a abertura dos envelopes não passou de uma encenação forçada e a homenagem que era para ser bonita ficou entediante (exceto quando Whoopi Goldberg falou para Amy Adams (dúvida) que sabia o quanto era difícil interpretar uma freira).

Em um musical liderado por Jackman e Beyonce a intenção era fazer homenagem ao gênero.
Apesar da montagem ter sido até bonita, Jackman estraga tudo no final dizendo que os musicais estavam de volta. No entanto, que eu saiba, o único musical expressivo deste ano (em números de bilheteria) foi Mamma Mia, o que fez com que todo aquele circo parecesse algo para preencher o espaço que é reservado todos os anos para "esquetes" musicais.

Um ponto alto da festa foram os clipes para em homenagem aos gêneros comédia, ação e romance com edição e roteiro caprichados. O de ação, em especial, foi de tirar o fôlego com uma sincronia muito legal entre a música e as cenas bem ao estilo holywoodiano de ação e o clipe de comédia com a "apresentação" de James Franco e Seth Rogen numa espécie de reprodução de uma cena do filme Pineapple Express (um dos filmes mais engaçados que eu já assisti).

A imitação da estranha presença de Joaquim Phoenix no programa de David Letterman feita por Ben Stiller acompanhado por Natalie Portman foi uma das poucas coisas que 'valeram o ingresso".

E quando eu achei que não podia piorar eis que chega o momento da entrega de melhor trilha sonora com aquela encenação fake indiana - o pior dos clichês numa apresentação chatíssima das músicas indicadas e o que me deixou muito chateada: estregaram a canção belissima de Peter Gabriel, "Down to Earth" que embalou a cena romântica mais emocionante de 2008 com Wall-e e Eva. Tudo perdeu a identidade com execessivo consumo da "cultura indiana", até mesmo a própria cultura indiana.

Com relação aos prêmios, nenhuma surpresa. O fenômemo "Quem quer ser um milionário" levou as principais estatuetas, o que me lembrou o Oscar de Crash, um filme tão apelativo quanto e tão ovacionado quanto.

Pelo menos gostei muito dos prêmios para Sean Penn e Kate Winslet (que se fosse Jolie em A Troca também tava valendo) e Wall-e para animação (que parece que não tinha concorrentes à altura.

Depois escrevo mais....

Um comentário:

tina. disse...

Mi, me passa seu email, please! Separei uma mini relação de sites que podem te ajudar!
beijos