quinta-feira, julho 16, 2009

Luz no fim do túnel dos jornalistas

Nem tudo está perdido. Quando parecia não ter mais solução (e depois de ouvir milhares de jornalistas dizendo que "nosso diploma não serve mais pra nada", num vergonhoso ato de desprezo pela própria profissão), eis que surgem boas notícias para todos, otimistas e pessimistas.

Matérias extraídas hoje do Portal da Impresa:

Fenaj e sindicatos debatem estratégias para restituir diploma no Jornalismo

Por Thiago Rosa/Redação Portal IMPRENSA

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) realizará, na próxima sexta-feira (17), reunião com sindicatos do setor para debater as estratégias da categoria na defesa do diploma. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) - criada pelo deputado Paulo Pimenta (PT-RS) e que restitui a exigência da graduação para o Jornalismo - e as mobilizações sociais pós decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) devem ser discutidas no encontro.

Desde a decisão do STF - que em 17 de junho suspendeu a obrigatoriedade do diploma para o exercício do Jornalismo - foram criadas três propostas de revalidação da exigência. Segundo a Fenaj, mais importante do que o material apresentado na Câmara dos Deputados, é a mobilização social em defesa da graduação aos profissionais atuantes na imprensa.

"Nós não estamos preocupados até o momento com o conteúdo (das matérias), mas sim com a garantia do debate pela defesa do diploma", disse Sérgio Murillo, presidente da Federação à reportagem do Portal IMPRENSA.

A Fenaj, nas palavras de seu presidente, acredita ainda que o retorno da obrigatoriedade do diploma seja validado por medida constitucional. "O único caminho, de acordo com o que temos ouvido, é uma PEC", avaliou Murillo, que recentemente participou de encontro com o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) e o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP).

Além do apoio à defesa do diploma, o encontro deve também ser pautado pela discussão sobre a realização da Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), prevista para dezembro deste ano. Recentemente, o Ministério das Comunicações informou que disponibilizaria apenas R$ 1,6 milhão dos R$ 8,6 milhões para o evento, o que poderia torná-lo inviável. O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) - que também participará do encontro -acredita, porém, que a possível diminuição do aporte não inviabilizará a realização da Confecom. "Em última instância, caso se confirme a redução dos recursos, a própria sociedade pode realizar a Conferência", defende o presidente da instituição, Guto Camargo.

Sindicato dos Jornalistas do Paraná realizará vigília pela exigência do diploma

Por Eduardo Neco/Redação Portal IMPRENSA


A partir das 18h da próxima sexta-feira (17), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor-PR) realizará uma vigília na escadaria do Palácio Histórico da Universidade Federal do Paraná em defesa da formação superior específica para o exercício da profissão.

O Sindicato distribuirá velas que serão acesas na escadaria do edifício por jornalistas, professores de comunicação, estudantes e pessoas a favor da obrigatoriedade do diploma. Todos vestirão branco na ocasião.


A reunião acontece exatamente trinta dias depois da decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) em que foi extinta a necessidade de formação específica para o exercício da profissão de jornalista.


Conseguiríamos fazer uma manifestação igual aqui em Conquista? Quem participaria?

4 comentários:

Juliana Pate disse...

Mi participei de uma manifestacao q ocorreu no RJ. Se fosse pertinha eu participaria! Temos q lutar pela nossa classe!

Shirley de Queiroz disse...

Eu tô dentro.

Lenivaldo Silva disse...

Vou te falar o que eu acho.
Ninguém precisa de um diploma de jornalismo pra comunicar algo,e de forma eficiente,se este já é seu dom!
Quem nasce pra coisa,não tem nem o que se preocupar...
Por exemplo,ninguém precisa de uma graduação em jornalismo pra fazer o que os cars do CQC fazem.E como vc pde ver,eles estão revolucionando o jornalism brasileiro.E é disso que as pessoas gostam.
Aos poucos,as pessoas estão abandonando o jornalismo que é apresentado por pessoas de coluna reta atrás de uma mesa,ou por aqueles jornalistas que escrevem textos que pareem ser redigidos à Pero Vaz de Caminha.É isso.
O blog está muito bom.

Diu Mota disse...

Olha, cada um defenda o seu! Aqui em Salvador a mobilização já aconteceu e a mobilização é constante. Essa coisa de 'dom' pura e simplesmente é coisa pra alices e polianas. Como já escrevi no meu blog essa terra é de murici e meu dom é ser psicóloga...