terça-feira, junho 26, 2007

Votos contra? A favor? Abstenções?


Eu sempre saio atrasada para trabalhar. Não importa o quão cedo eu acorde. Sempre saio correndo. Tenho uma vantagem nessa minha displicência (ou seria desvantagem?): enquanto me arrumo, ligo a TV e posso ouvir as bobagens que saem da boca da Ana Maria Braga.
A de hoje foi a seguinte: ela falava do caso dos meninos de classe média alta que espancaram uma doméstica, e do outro caso recente em que, também pelas mãos de “filhinhos de papai”, um outro garoto foi morto. Relembrou o caso do “menino João Hélio” e tantos outros que “entristecem a população”.
O que vêm acontecendo, fala Ana Maria acertadamente, é uma banalização da violência, e seguiu o papo por aí. Na conclusão ela faz um apelo para....a imprensa! Ela pede que os meios de comunicação se atentem para essa classe média/alta e o que vem se sucedendo com ela. Mais uma vez a imprensa, com o jornalismo como seu maior correspondente, aparece como salvador da pátria. Ana Maria esqueceu que existem outros três poderes antes do apelidado Quarto Poder ? E a instituição família?
Vamos deixar bem claro, Ana Maria, a imprensa, os meios de comunicação, o jornalismo têm a função de ser mediadores das ações sociais e pode até tomar iniciativas, dar um empurrão para que as coisas aconteçam, mas não dá pra responsabilizar e jogar nas costas desses profissionais toda a responsabilidade. O governo e a família devem estar muito mais atentos à juventude.
Não tiro a obrigação da imprensa em ajudar a educar, esclarecer e estar presente na formação dos jovens, mas ficou muito fácil, e virou moda, culpa-la por tudo.
Depois reclamam que o comunicólogo, em especial o jornalista, se acha o dono da verdade.
Estamos vivendo em um mundo onde Clark Kent é o presidente do sindicato dos jornalistas? Se for, me avisem porque eu tenho que ir ali salvar uma pessoa de um incêndio.

2 comentários:

tulio disse...

mas hoje em dia as pessoas só se comovem quando a imprensa faz um esforço para isso, não é verdade?
faz muito tempo que o país está com indices de violência altissimos, mas os unicos casos que comovem são os que a tv "promovem"...
de certa forma ela está certa, se as pessoas vivem nessa situação em que só se movem se a tv manda, a imprensa pode ajudar e muito (não disse resolver).
não quero comentar o outro lado, senão daria um posto maior ainda!
:P

Mi do Carmo disse...

Foi o que eu disse: pode ajudar, mas não resolver. E nçao ajuda se estiver sozinha na parada... Se não vira discussão passageira, como têm sido aliás...